Pescador diz que Marinha dos EUA atirou sem avisar

Um pescador indiano que estava à bordo do barco atingidos por disparos feitos pelo Marinha dos Estados Unidos, perto da costa de Dubai, disse para autoridades que a tripulação não recebeu nenhum aviso antes de ser atacada, afirmou o embaixador da Índia nos Emirados Árabes, M.K. Lokesh, nesta terça-feira. Um indiano morreu no incidente e três ficaram seriamente feridos.

AE, Agência Estado

17 de julho de 2012 | 11h51

O testemunho difere do relato feito pela Marinha, que afirmou ter utilizado força letal apenas após uma série de alertas. O tiroteio aconteceu na tarde de segunda-feira, quando o barco pequeno aproximou-se rapidamente do navio USNS Rappahannock, que estava reabastecendo a cerca de 16 quilômetros do porto Jebel Ali, em Dubai. A Marinha diz que só acionou a metralhadora calibre 0,50 após a tripulação do pesqueiro ter ignorado os avisos.

Funcionários da embaixada da Índia encontraram-se com os pescadores feridos. Segundo Lokesh, um dos sobreviventes "disse que não houve aviso", antes dos tiros. "Nós estamos esperando o término das investigações. Estamos esperando para ver o que aconteceu."

A embaixatriz dos EUA na Índia, Nancy Powell, lamentou as mortes e assegurou que o governo americano vai conduzir uma investigação completa.

O incidente acontece em um período de tensões entre Estados Unidos e Irã no Golfo. Elas aumentaram após Teerã ter renovado as ameaças de fechar o estratégico Estreito de Hormuz - rota de um quinto do petróleo em todo o mundo - em retaliação às sanções contra seu programa nuclear.

Os EUA vêm aumentando sua presença naval na região com mais embarcações de guerra. O Pentágono disse na segunda-feira que está enviando mais um porta-aviões para o Oriente Médio. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
DubaiEUAGolfo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.