Pescadores italianos bloqueiam porto de Lampedusa

Pescadores italianos, enfurecidos com o fluxo de imigrantes norte-africanos que chegam à ilha de Lampedusa, ao sul da Sicília, tomaram hoje barcos dos clandestinos que estavam atracados no porto da ilha e tentaram bloquear o acesso portuário, em protesto contra a imigração ilegal.

AE, Agência Estado

28 de março de 2011 | 18h13

Outros moradores da ilha jogaram lixo nas ruas, em protesto contra a chegada dos imigrantes, muitos dos quais agora fogem do conflito civil na Líbia. O governo italiano disse hoje que enviará seis navios, como capacidade para transportar até 10 mil pessoas, para a ilha até a quarta-feira. Os imigrantes serão transportados para centros de triagem na Sicília e na Itália continental.

"Basta, estamos cheios", dizia um cartaz carregado por dois manifestantes. Mais de 3 mil imigrantes chegaram a Lampedusa nos últimos três dias. A ilha possui 5 mil habitantes e vive do turismo e da pesca. Com os abrigos para imigrantes lotados, os clandestinos, muitos dos quais são tunisianos, estão dormindo em tendas montadas nos campos da ilha.

Lampedusa foi ocupada por um fluxo de quase 15 mil imigrantes desde meados de janeiro, quando uma revolução derrubou o presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali. A ilha fica a apenas 100 quilômetros ao leste da costa tunisina, mais perto do Norte da África que do continente europeu. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaimigraçãoLampedusabloqueio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.