Pesquisa aponta diminuição da vantagem democrata nos EUA

A apenas um dia das eleições legislativas dos Estados Unidos, uma nova pesquisa do Pew Research Center aponta para uma mudança na tendência de votação em candidatos republicanos, que até o momento perdiam espaço para os democratas. A nova pesquisa, realizada entre eleitores que pretendem ir às urnas nesta terça-feira, identificou uma diminuição expressiva na diferença de intenção de voto entre os dois partidos. Ao contrário do Brasil, o voto não é obrigatório nos EUA. De acordo com o levantamento, a diferença caiu de 11 pontos porcentuais há duas semanas para quatro pontos neste domingo, 5, dia em que o levantamento foi publicado. Segundo o instituto, 47% dos americanos que pretendem comparecer às urnas disseram que votariam em candidatos democratas, enquanto 43% afirmaram preferir os republicanos. Há duas semanas, a intenção de voto nos democratas era de 50%, contra 39% nos republicanos. A pesquisa escutou 2.369 eleitores e foi conduzida entre os dias 1º e 4 de novembro. O levantamento ecoa os resultados de uma outra pesquisa divulgada no último sábado pelo jornal americano The Washington Post, que apontou uma vantagem de seis pontos porcentuais para os democratas. É também o que mostra uma enquete do diário USA Today, que apontou uma diminuição da diferença entre os dois partidos de 13% há duas semanas para 7% neste fim de semana. Entretanto, outros levantamentos recentes revelam que a diminuição da vantagem dos democratas apontada por este conjunto de pesquisas é relativa. Segundo uma pesquisa da CNN conduzida no fim de semana, os democratas teriam ampliado sua vantagem entre os eleitores que pretendem comparecer às urnas nesta terça-feira. Segundo a enquete, 58% dos eleitores consultados escolherão candidatos democratas, enquanto apenas 38% preferem os republicanos - uma diferença de 20 pontos porcentuais. Na semana passada, essa distância era de 11% - 53% para os democratas contra 42% para os republicanos. Análises Segundo a análise do Pew Research Center divulgada junto com a nova pesquisa, a diminuição da vantagem democrata põe em cheque as previsões de que os democratas conseguiriam os votos necessários para reconquistar o controle da Câmara dos Representantes. O levantamento sugere que o voto dos indecisos será crucial na definição de muitas das disputas eleitorais desta terça-feira. Cerca de 19% dos entrevistados indicaram apenas uma tendência em apoiar um candidato ou estão totalmente indecisos. Os ganhos dos republicanos refletem um número de tendências de última hora. Em primeiro lugar, os republicanos tornaram-se mais engajados nas eleições do que estavam em setembro e outubro. Embora os democratas continuem expressando maior entusiasmo em votar do que os republicanos, um número semelhante de republicanos (64%) e democratas (62%) dizem agora que dão muita importância para a eleição. Há um mês, mais democratas diziam-se preocupados com o pleito (59% contra 50%). Como resultado, é possível dizer que os republicanos estão mais propensos a votar nas eleições do que os democratas, como é típico nas eleições de meio de mandato. É importante destacar também que Bush melhorou seus níveis de aprovação na última semana antes da eleição. O índice subiu de 37% no início de outubro para 41% no último levantamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.