Pesquisa aponta empate técnico entre Obama e Romney

Levantamento também indica que 57% dos americanos acham que presidente não tem bom desempenho

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2012 | 03h06

Mesmo com US$ 152 milhões em fundos de campanha e sinais de melhora na economia americana, o presidente dos EUA, Barack Obama, está ainda longe de ver garantida a sua reeleição, em novembro. Pesquisa do Washington Post e da rede ABC News, divulgada ontem, mostrou Obama tecnicamente empatado com o republicano moderado Mitt Romney na preferência do eleitorado. Obama teve 46% das intenções de votos e Romney, 47%.

A pesquisa não só apontou Romney como o único dos cinco pré-candidatos republicanos com chance de bater Obama, mas também trouxe uma avaliação do governo americano. Dos mil adultos consultados por telefone entre os dias 12 e 15, 57% afirmaram que Obama não vem desempenhando bem suas funções. Menos da metade, 47%, o avaliou de forma positiva. Seu governo foi aprovado por 48% dos consultados, mas desaprovado por igual porcentual.

Os dados reforçam, em parte, a avaliação dos chefes da campanha de Obama de que esta será uma corrida eleitoral mais acirrada do que a de 2008, quando o atual presidente concorreu com o senador republicano John McCain sob o lema da mudança. O empate entre Obama e Romney não significa que, se a eleição fosse no período da pesquisa, o republicano teria vencido. Nos EUA, um maior número de votos nem sempre indica a vitória, que depende de critérios de peso dos Estados no cômputo geral. Além disso, apenas eleitores registrados podem votar.

A pesquisa trouxe a economia, sobretudo a produção de empregos, como o principal definidor do vencedor da eleição. Para 54% dos consultados, a economia não começou a se recuperar. Entre os republicanos, esse porcentual alcançou 74%, enquanto ficou em 30% para os democratas. Entre os independentes, 58% compartilharam essa opinião.

O governo recebeu melhor avaliação em política internacional - 49% favoráveis e 44% contra. Na avaliação de sua capacidade de lidar com a possibilidade de o Irã obter armas nucleares, a aprovação de Obama cai para 33%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.