Pesquisa com sonares não acha monstro no Lago Ness

Um grupo de pesquisadores que participou de um documentário para a BBC disse ter encontrado provas de que o lendário monstro do lago Ness, na Escócia, não existe. Usando 600 sonares e tecnologia de navegação por satélite, a equipe rastreou as águas do lago escocês em busca da lendária atração turística, mas não encontrou sinal do monstro. Relatos anteriores de pessoas que diziam ter visto o monstro levaram à especulação de que talvez se tratasse de um plesiossauro, um réptil marinho que se tornou extinto na mesma época que os dinossauros. A equipe estava convencida de que um animal como esse poderia ter sobrevivido nas águas frias do lago Ness, apesar de répteis marinhos preferirem águas subtropicais. Os pesquisadores observaram o comportamento de répteis marinhos vivos atualmente, como crocodilos e tartarugas de couro, para tentar descobrir como um plesiossauro se comportaria. Eles acreditavam que os instrumentos a bordo do barco seriam capazes de detectar o ar dentro dos pulmões do monstro, que então refletiria um sinal distorcido de volta aos sensores dos sonares. Tudo o que grupo conseguiu localizar foi uma bóia amarrada vários metros abaixo da superfície ? em um teste para saber se o equipamento funcionaria ? e, terminada a busca, nenhum monstro foi encontrado. "Fomos de borda a borda, da superfície ao fundo, cobrimos tudo o que havia no lago e não vimos sinais de qualquer animal grande vivendo lá dentro", disse Ian Florence, um dos especialistas que fizeram a pesquisa. A investigação sobre o monstro do Lago Ness será transmitida pelo canal britânico de televisão da BBC 1. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.