Pesquisa de boca de urna mostra reeleição de Evo na Bolívia

Atual presidente aparece mais de 30 pontos porcentuais na frente do segundo colocado, Doria Medina

Murillo Ferrari, enviado especial / La Paz, O Estado de S. Paulo

12 de outubro de 2014 | 21h24

LA PAZ - Pesquisa de boca de urna realizada no início da noite deste domingo, 12, mostra que o presidente da Bolívia, Evo Morales, do partido Movimento ao Socialismo (MAS), estava muito próximo de garantir seu terceiro mandato no cargo, com 61 % dos votos – cerca de 37 pontos porcentuais a mais do que Samuel Doria Medina, da Unidade Democrática (UD), seu principal adversário, com 24%. Jorge Quiroga, do Partido Democrata Cristão (PDC), ficou na terceira posição, com 9% dos votos.

A sondagem foi feita pela empresa Equipos Mori, a pedido da emissora Unitel. De acordo com os número, Evo deve vencer em oito dos nove Departamentos (Estados) do país.

A expectativa é que o resultado oficial das eleições seja anunciado nesta segunda-feira pelo Tribunal Supremo eleitoral (TSE).

Favorito para vencer as eleições em primeiro turno desde que as primeiras pesquisas foram divulgadas em agosto, Evo votou por volta das 8 horas (9 horas pelo horário de Brasília) na Vila 14 de setembro, Província de Chapare, em Cochabamba, berço eleitoral dele.

Ao sair da seção eleitoral, o presidente criticou os opositores que questionaram o trabalho do TSE e dos observadores da Organização de Estados Americanos (OEA). “Lamento que algumas pessoas queiram prejudicar a democracia ao tentar desqualificar o TSE e os observadores da OEA e de outras instituições. Isso é uma forma de atentar contra a democracia. Não concordo, mas está dentro do direito deles”, disse, antes de se dirigir para La Paz para aguardar a divulgação oficial dos resultados.

Principal candidato da oposição boliviana, Doria Medina votou pela manhã na zona sul de La Paz, acompanhado da mulher. O empresário, que concorre à presidência pela terceira, vez havia pedido uma ampla participação da sociedade no processo eleitoral para garantir mudanças ao país. “Todos os bolivianos e bolivianas decidirão o futuro da nossa democracia, do nosso país querido. Por isso, é importante que cuidem dos votos para que o processo seja transparente”. Quiroga foi o último dos presidenciáveis a ir às urnas, no começo da tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.