Pesquisa diz que 1 a cada 4 pessoas já pagou propina

Uma em cada quatro pessoas em todo o mundo pagou propina durante o ano passado, revela um estudo divulgado hoje para marcar o Dia Internacional Contra a Corrupção. A pesquisa, realizada pela Transparência Internacional, sediada em Berlim, na Alemanha, enfoca subornos de pequena escala e foi compilada por meio de pesquisas conduzidas com mais de 91 mil pessoas, em 86 países e territórios.

AE, Agência Estado

09 de dezembro de 2010 | 10h46

Nos últimos 12 meses, uma em cada quatro pessoas pagou uma propina para uma de nove instituições listadas, incluindo autoridades do setor de saúde, educação e as encarregadas da coleta de impostos. O resultado está no Barômetro Global da Corrupção de 2010. A polícia foi considerada a entidade mais corrupta, segundo o estudo, concentrando 29% dos "acordos" que envolviam propinas.

Pelo mundo, a África Subsaariana foi a região com a maior incidência de subornos, com mais de 50% das pessoas confessando que fizeram esses pagamentos ilegais a funcionários nos últimos 12 meses. Em seguida vêm Oriente Médio e o norte da África, com 36% das pessoas confessando que pagaram propina no período.

Nas nações que fizeram parte da União Soviética, o índice é de 32%, enquanto na América Latina ficou em 23%. Nos Bálcãs e na Turquia, de 19%, na região da Ásia e do Pacífico, de 11%, e de 5% na União Europeia e na América do Norte.

Os países no topo da lista das propinas são Afeganistão, Camboja, Camarões, Índia, Iraque, Libéria, Nigéria, territórios palestinos, Senegal, Serra Leoa e Uganda. Nesses, mais de 50% das pessoas pagaram subornos a autoridades nos últimos 12 meses.

Quase a metade disse que pagou a propina para evitar problemas, enquanto um quarto argumentou que fez isso para acelerar alguns procedimentos. Uma das conclusões do estudo é que as pessoas de baixa renda confessaram ter pago propinas como nunca antes.

O estudo é o sétimo da Transparência Internacional sobre o tema desde 2003. Nesta edição, contou com a participação de mais países, como pela primeira vez de China, Bangladesh e dos territórios palestinos. As entrevistas, a maioria conduzidas pelo Instituto Gallup, foram realizadas entre 1º de junho de 30 de setembro. Desde 2003, as Nações Unidas estabeleceram o Dia Internacional Contra a Corrupção, para marcar a importância de se promover uma luta global contra o problema. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
corrupçãopropinapopulaçãopesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.