Jonathan Ernst/Reuters
Jonathan Ernst/Reuters

Pesquisa Fox mostra 51% de apoio a impeachment e irrita Trump

Segundo a Fox News, desde de julho, o apoio ao impeachment do presidente cresceu em todos os segmentos: republicanos, democratas e independentes

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2019 | 18h24

WASHINGTON - O presidente americano, Donald Trump, criticou nesta quinta-feira, 10, a Fox News depois que uma pesquisa da emissora conservadora mostrou que mais de 51% de seus entrevistados - eleitores registrados - apoia o impeachment contra o republicano. O resultado significa quase dez pontos porcentuais a mais do que o de uma mesma pesquisa realizada pela emissora em julho. 

Segundo a Fox News, desde de julho, o apoio ao impeachment cresceu em todos os segmentos: 11 pontos entre democratas, 5 pontos entre republicanos e 3 pontos entre independentes. Cresceu também em algumas das principais bases eleitorais de Trump, incluindo cristãos evangélicos brancos (5 pontos), homens brancos sem graduação (8 pontos) e brancos da zona rural (10 pontos). 

Entre mulheres do subúrbio, um grupo que tem sido uma constante preocupação para os republicanos, 6 em cada 10 apoiam a remoção de Trump do cargo. Mais da metade dos entrevistados disse que Trump está mais focado no que serve melhor a seus interesses do que ao país.

A pesquisa mostra uma grande diferença de posicionamento entre homens e mulheres com relação a Trump. Mais da metade dos homens branco com graduação aprovam o trabalho de Trump na presidência. A aprovação das mulheres de mesmo perfil é de cerca de um terço. 

O relacionamento da Fox News com Trump tem sido quase  leal e estratégico desde que ele foi indicado candidato a presidente pelo Partido Republicano em 2016. No ano passado, durante uma viagem ao exterior, Trump teve um ataque de fúria ao ver que a televisão da primeira-dama, Melania Trump, no Air Force One, o avião oficial da presidência, estava ligada na CNN, que ele chama de "fake news". 

 

Na época, o presidente deu uma bronca à sua equipe dizendo que as TVs do avião deveriam ficar sintonizadas somente na Fox News e na Fox Business e isso deveria ser padrão. Mas o namoro entre os dois começou a esfriar nas últimas semanas quando o presidente passou a expressar sua frustração com o fim da lealdade da emissora com ele. 

Em seus tuítes hoje, Trump destacou as divisões entre alguns comentaristas da rede, como Andrew Napolitano, sobre seu argumento de que o processo de impeachment não é legítimo. Primeiro, disse que Napolitano "é terrível" por ter dado emprego a Donna Brazilie - uma experiente comentarista democrata - e depois retuitou um post da âncora da Fox Business Maria Bartiromo, que tem sido uma porta-voz das declarações de apoio ao presidente, especialmente do ex-presidente da Câmara Newt Gingrich

"@FoxNews não entrega mais aos EUA", escreveu ele. “É tão diferente do que costumava ser. Oh, bem, (agora) sou presidente! "


Mas como apontou o New York Times, os problemas de Trump com a mídia conservadora vão além de algumas personalidades da Fox. O Relatório Drudge, que ganhou destaque durante o impeachment de Bill Clinton, tem se posicionado a favor do impeachment do atual presidente, de quem era um dos grandes apoiadores até então. 

Segundo reportagem da TV CNN, Trump está perdendo o aliado conservador, cujo site agregador de notícias passou a dar grande destaque a histórias negativas para a Casa Branca nas últimas semanas, em uma grande mudança em sua linha de cobertura do presidente. / COM NYT e W. POST 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.