Eric Thayer/Reuters
Eric Thayer/Reuters

Pesquisa mostra Gingrich na frente na Carolina do Sul

Segundo as pesquisas, Gingrich teve um desempenho forte no debate desta quinta-feira

Agência Estado

20 de janeiro de 2012 | 05h05

CHARLESTON - O pré-candidato republicano Newt Gingrich tem uma vantagem de seis pontos na Carolina do Sul, segundo pesquisa divulgada pouco tempo antes da realização das primárias no Estado.

 

Veja também:

blog PARA ENTENDER: Os Super-Pacs

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA 2012

Segundo as pesquisas, Gingrich teve um desempenho forte no debate desta quinta-feira, em Charleston, em relação aos rivais, visando representar os republicanos nas eleições presidenciais, na disputa com Barack Obama, em 6 de novembro. A pesquisa feita pela Votação de Política Pública (PPP, na sigla em inglês), apontou Gingrich com 35% das intenções de voto, contra o ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney, com 29%. O congressista texano Ron Paul e o ex-senador Rick Santorum ficaram empatados em terceiro, com 15% das intenções de voto.

"Pela primeira vez na Carolina do Sul, Gingrich superou Romney, com 53% dos eleitores assegurando uma opinião positiva sobre ele, contra 51% para seu principal concorrente", informou a PPP.

Em relação à preferência dos evangélicos no Estado, a pesquisa apontou que Gingrich manteve a vantagem de 40% contra 22% do ex-governador de Massachusetts. Os evangélicos são considerados um grupo estratégico nesta corrida eleitoral.

A apresentação dos resultados da pesquisa ocorreu após uma entrevista com a ex-mulher de Gingrich, em que ela dizia que ele lhe havia proposto um "casamento aberto" nos anos 1990, após manter um caso com sua assessora parlamentar durante seis anos. "As revelações feitas pela ex-mulher de Gingrich não interferiram nos resultados desta pesquisa", disse a PPP.

Durante o debate, Gingrich negou as acusações e criticou severamente a mídia norte-americana.

 

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.