Pesquisa mostra Obama e Romney empatados em Ohio

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está em empate técnico com seu rival republicano Mitt Romney no Estado de Ohio, indica uma pesquisa de intenção de voto publicada neste domingo, a menos de dez dias das eleições presidenciais de 6 de novembro. A pesquisa, feita para a Organização dos Jornais de Ohio com eleitores prováveis, mostra que cada candidato está com 49% das intenções de voto. A pesquisa foi feita pelo Instituto de Pesquisas da Universidade de Cincinnati e tem margem de erro de 3,1 pontos porcentuais para mais ou para menos.

EQUIPE AE, Agência Estado

28 de outubro de 2012 | 19h21

Neste domingo, Obama passou a manhã em Washington, onde passeou com suas filhas Maíla e Sasha, e depois visitou a Agência Federal de Prevenção de Desastres, por causa da aproximação do furacão Sandy. Obama fará na segunda-feira campanha em Youngstown, em Ohio, e depois volta a Washington. Já o candidato republicano Mitt Romney e seu colega de chapa, o candidato a vice Paul Ryan, fizeram campanha hoje no interior de Ohio.

"A sondagem mostrou que os eleitores independentes estão ainda mais divididos do que antes entre Obama e Romney do que na primeira pesquisa", disse Eric Rademacher, codiretor do instituto. Em pesquisa feita há um mês em Ohio, Obama liderava com 51% das intenções de voto, enquanto Romney tinha 46%. Ohio, um "swing-state" (estado indeciso, que pode dar a vitória tanto a democratas quanto a republicanos), é considerado crucial para as eleições do dia 6. Em 2008, Obama venceu as eleições em Ohio, levando os 18 delegados que votam no Colégio Eleitoral. A pesquisa publicada hoje entrevistou 1.015 eleitores prováveis, entre 18 e 23 de outubro. Ela já reflete o terceiro e último debate entre os dois candidatos, que ocorreu em 22 de outubro em Boca Ratón (Flórida). Para ser eleito presidente no dia 6 pelo Colégio Eleitoral (538 votos) um candidato precisa de pelo menos 270 votos.

Quase um a cada cinco eleitores de Ohio declarou ter votado antecipadamente. Nesse universo, 63% afirmam ter votado em Obama e 36% em Romney. A importância de Ohio nas eleições nacionais ficou evidenciada neste domingo por mais uma propaganda dos republicanos veiculada no Estado. A nova propaganda coloca em dúvida as afirmações de Obama, de que o presidente salvou a General Motors, a Chrysler e a indústria automobilística americana em 2009. A propaganda de Romney afirma que Obama "levou a GM e a Chrysler para a falência e depois vendeu a Chrysler para os italianos, que construirão jipes na China". A indústria automobilística é forte em Ohio, como em Detroit (Michigan), onde ficam as sedes das três maiores montadoras americanas (GM, Ford e Chrysler).

Romney disse em Ohio na semana passada: "Uma das maiores fabricantes desse Estado, a Jeep, agora controlada pelos italianos, está planejando mover toda a produção para a China. Eu lutarei para que cada bom emprego fique aqui na América" afirmou Romney. Logo após os comentários de Romney, o porta-voz da Chrysler, Gualberto Ranieri, disse que a empresa não tem a intenção de fechar sua fábrica da marca Jeep em Toledo e mover a produção para a China. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.