Pesquisa mostra que 77% dos palestinos apóiam Plano dos Prisioneiros

Uma pesquisa da Universidade de Bir Zeit, em Ramallah, revelou que 77% dos palestinos apóiam o Plano dos Prisioneiros, que propõe a formação de dois Estados para encerrar o conflito palestino-israelense. A pesquisa, divulgada nesta quarta-feira pela imprensa local, mostra ainda uma queda no apoio popular ao movimento islâmico Hamas, atualmente à frente do governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP).Somente 37% dos entrevistados disseram que votariam no Hamas se as eleições legislativas fossem hoje, contra os 50% ouvidos em abril. Outros 37% votariam no movimento nacionalista Fatah, liderado pelo presidente Mahmoud Abbas.O Hamas venceu o Fatah nas eleições parlamentares de 25 de janeiro.Ao abrir uma conferência com diferentes partidos políticos palestinos há mais de dez dias, destinada em princípio a reduzir a tensão nas ruas palestinas, o presidente Abbas instou o Hamas a aceitar a iniciativa dos prisioneiros. Caso contrário, anunciou que convocaria um referendo. No entanto, o Hamas rejeita o documento, que na prática reconhece o Estado de Israel nos territórios anteriores à guerra de 1967. A pesquisa destaca que 83% dos palestinos apóiam a criação de um futuro Estado palestino dentro das fronteiras de 1967, um dos pontos da iniciativa.O Plano dos Prisioneiros que Abbas pretende submeter a uma consulta pública foi concebido pelo deputado e dirigente do Fatah na Cisjordânia Marwan Barghouthi, condenado à prisão perpétua em Israel. A proposta inclui libertação de todos os palestinos que estão nas prisões israelenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.