Pesquisa revela que 60% dos franceses julgam seus políticos corruptos

Aproximadamente 60% dos franceses acreditam que "os eleitos e os dirigentes políticos são muito corruptos", segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira, em razão de um colóquio que aconrtece nos dias 19 e 20 de outubro, intitulado "Democracia e corrupção. Todos corruptíveis?". A informação é do jornal francês Le Monde. O Centro de estudos da vida política francesa (Cevipof) realizou a pesquisa com duas mil pessoas. O trabalho visa a "relacionar os sistema de valores dos participantes e a sua concepção de política com suas opiniões sobre a corrupção e os atentados à probidade publica". O mais impactante é, de fato, o tamanho da desconfiança. Sessenta por cento dos participantes acreditam que "os eleitos e os dirigentes públicos são muito corruptos". Em pesquisa de 1977, 38% dos entrevistados tinham essa opinião sobre os políticos, e em 1990, 55%. A pesquisa constatou também que as opiniões estão mais formadas do que há 30 anos atrás. Em 1977, 30% dos entrevistados ficaram "sem resposta a essa pergunta". Na pesquisa realizada este ano, 5% não tinha opinião formada. Um terço dos participantes acredita ainda que há mais corrupção hoje do que havia antes. Mais de dois terços consideram que o nível de corrupção aumentou nas principais instituições políticas: 77,9% no governo, 69,1% na presidência da república e 68% entre os deputados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.