Pesquisa revela que tema da imigração preocupa americanos

Uma pesquisa divulgada neste domingo nos Estados Unidos revela que a imigração está entre os três temas que mais preocupam os americanos, atrás da Guerra do Iraque e da Economia. A enquete, feita pela Ipsos entre 3 e 5 de abril, revela que para 19% dos americanos a Guerra do Iraque é o assunto mais preocupante, para 14% a Economia é o assunto prioritário e, em terceiro lugar, está a imigração, com 13%. Este dado sobre a migração é quatro vezes superior ao pesquisado em janeiro. Atualmente, calcula-se que há cerca de 12 milhões de imigrantes ilegais nos EUA. No ano passado, as autoridades americanas prenderam cerca de 1,2 milhão de imigrantes na fronteira com o México, segundo números de funcionários do governo. Os dados demonstram que os cidadãos acompanham de perto o debate sobre este tema analisado pelo Congresso americano e que provocou protestos de milhares de imigrantes no país. Nesta sexta-feira, republicanos e democratas estiveram firmes em suas posições e impediram, pela segunda vez em dois dias, o voto de uma reforma migratória no Senado dos EUA para decidir o destino dos imigrantes ilegais. Os legisladores também não conseguiram realizar a votação da proposta promovida pelo líder da maioria republicana, Bill Frist, que não incluía a regularização da situação dos estrangeiros ilegais. O debate acontecerá após um recesso legislativo de duas semanas, mas não está claro qual medida será discutida. Neste domingo, o senador republicano e presidente do Comitê Judicial do Senado, Arlen Specter, se mostrou otimista sobre a possibilidade de votar o projeto de lei após o recesso apesar da disputa entre os dois grupos políticos. "Acho que as posturas dos dois se esfriarão durante estas duas semanas", disse Specter em entrevista à rede de televisão americana "Fox". No sábado, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, culpou o líder democrata no Senado, Harry Reid, de bloquear a votação de um projeto de lei de reforma migratória e pediu ao político da oposição que termine com suas "táticas". "Peço ao líder da minoria (democrata) no Senado que termine com suas táticas de bloqueio e permita ao Senado fazer seu trabalho e aprovar um projeto de lei justo e eficiente", disse o presidente em seu discurso radiofônico semanal. Reid respondeu que, ao culpar os democratas, Bush busca desviar a atenção sobre os problemas do governo, entre eles a acusação de vazar informações confidenciais. Já o líder da maioria republicana na Câmara Baixa, John Boehner, disse neste domingo que, antes de discutir o programa de trabalhadores temporários proposto por Bush, é necessário proteger as fronteiras. "Não se pode falar de um programa de trabalhadores hóspedes até que as fronteiras estejam protegidas, já que, caso contrário, teremos uma fila interminável de imigrantes ilegais em nosso país", disse o político republicano. Em entrevista ao programa dominical "This Week with George Stephanopoulos", da rede de televisão ABC, Boehner afirmou estar convencido de que tanto democratas como republicanos podem resolver suas diferenças após o recesso parlamentar. O debate deste fim de semana esquentou por causa da convocação de diversas manifestações para esta segunda-feira em que se espera a presença de milhares de pessoas em defesa de seus direitos como imigrantes.

Agencia Estado,

09 Abril 2006 | 17h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.