Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Pesquisa sobre ribossomos leva Nobel de Química

Os norte-americanos Venkatraman Ramakrishnan e Thomas Steitz e a israelense Ada Yonath ganharam o Prêmio Nobel de Química, anunciado hoje. A distinção premiou pesquisas sobre a estrutura e o funcionamento dos ribossomos, que abriram caminho para a produção de novos antibióticos. Yonath é a quarta mulher a levar o Nobel de Química e a primeira desde 1964, quando a britânica Dorothy Crowfoot Hodgkin obteve o prêmio.

AE-AP, Agencia Estado

07 de outubro de 2009 | 08h46

A Real Academia de Ciências da Suécia afirmou que o trabalho do trio foi fundamental na compreensão científica da vida e ajudou pesquisadores a desenvolver curas com antibióticos para várias doenças. Os três laureados deste ano desenvolveram modelos tridimensionais que mostram como antibióticos diferentes estão veiculados aos ribossomos.

"Esses modelos são utilizados atualmente por cientistas para desenvolver novos antibióticos, apoiando diretamente o salvamento de vidas e atenuando o sofrimento da humanidade", afirmou a academia sueca em comunicado. "Os três utilizaram um método chamado cristalografia de raios X para traçar mapas da posição de cada um dos centenas de milhares de átomos que constituem o ribossomo", acrescentou.

O prêmio, anunciado hoje, inclui um cheque de 10 milhões de coroas suecas (US$ 1,4 milhão), um diploma, uma medalha de ouro e um convite para a cerimônia de entrega dos prêmios em Estocolmo, em 10 de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
NobelQuímicaribossomosantibióticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.