Pesquisador divulga dados de 100 milhões de usuários do Facebook

Autor diz que 'ataque ético' mostra necessidade de controle maior sobre a privacidade; site diz que informações já eram disponíveis na net.

BBC Brasil, BBC

28 de julho de 2010 | 20h09

Os dados pessoais de cerca de 100 milhões de usuários do site de relacionamentos pessoais Facebook foram coletados e publicados na internet por um pesquisador e consultor de segurança.

Ron Bowles disse que realizou um "ataque ético" para mostrar como os padrões de segurança do site deveriam ser melhorados.

"Isso (o 'ataque ético') ressalta o argumento para um nível maior de privacidade e prova a necessidade de uma configuração original mais privativa", completou.

Ele diz que os usuários do site não compreendem bem seus controles de privacidade, que seriam muito confusos.

Facebook

Bowles coletou informações que os usuários já haviam tornado públicas, não incluindo detalhes como endereço de email, números de telefone ou endereço postal.

A lista se espalhou rapidamente pela internet, sendo baixada em sites de compartilharmento de arquivos.

Mas em um comunicado o Facebook disse à BBC que a informação divulgada já era pública.

"Informações que as pessoas já haviam concordado em tornar públicas foram reunidas por um único pesquisador e já existem em sites como Google, Bing e outros mecanismos de busca, além do Facebook", diz o comunicado.

"Nenhuma informação privativa se tornou disponível ou foi comprometida", completa.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
facebookvazamentoprivacidadeinternet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.