Pesquisadora diz que Bin Laden morreu

Ghislaine Alleaume, uma historiadora e especialista em cultura árabe garante que Osama bin Laden morreu em dezembro de 2001 em algum refúgio perdido nas montanhas do Afeganistão, segundo uma entrevista ao jornal francês Le Figaro.A pesquisadora, que diz ter estudado durante vários meses sinais e dados sobre Bin Laden, assegura para os indícios convergem para a morte do chefe da Al Qaeda, após os bombardeios norte-americanos às montanhas em Tora Bora.Ghislaine diz que no último vídeo considerado autêntico de Bin Laden, de 27 de dezembro, ele aparece abatido e há sinais de que havia amputado um dos braços.Segundo a pesquisadores, ele aparece vestido com uma jaqueta militar, jogada sobre os ombros como se pretendesse disfarçar a ausência do braço esquerdo.Se a suspeita for verdade, as condições sanitárias do Afeganistão não permitiriam a sobrevivência por muito tempo de uma pessoa com um braço amputado.Segundo Ghislaine, desde aquele vídeo, não foram mais difundidas imagens de Bin Laden. A mensagem do dia 27 de dezembro antecedeu uma série de outras mensagens de adeus a Osama Bin Laden que apareceu em dezenas de sites islâmicos com versos do Corão e fazendo alusão a uma derrota dos muçulmanos.Para ela, uma carta difundida em 2002 e atribuída a Bin Laden é, na verdade, uma obra de seus seguidores. Segundo ela, a assinatura no final do texto foi trocada por Osama Mohamed Bin Laden.Normalmente o chefe da Al Qaeda assinava seu nome como irmão, xeque ou emir. A aparição de Mohamed, o nome de sue pai, agrega uma dimensão apocalíptica à mensagem. ?No Corão está escrito que o messias dos últimos tempos seria conhecido por alguns sinais, entre eles o nome do pai?, disse a pesquisadora ao Le Figaro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.