Pesquisas dão vantagem de 10% a Correa no Equador

Os principais institutos de pesquisa do Equador dão uma vantagem de até 10% a favor do candidato esquerdista Rafael Correa sobre o multimilionário Álvaro Noboa, no segundo turno das eleições presidenciais deste domingo. Além de coincidir em relação à vantagem de Correa, os institutos Market e Cedatos consideram "muito difícil" essa tendência ser revertida em poucas horas. Tanto o Market como o Cedatos, que divulgarão resultados logo após o fim do processo de votação com base em pesquisas de boca de urna, manifestaram que o "empate técnico" assinalado há uma semana foi rompido nos últimos dias. Os institutos também lembraram que a lei eleitoral do Equador proíbe a divulgação dos resultados de pesquisas a partir do 20ª dia anterior ao pleito. O porta-voz do Market, José El Juri, disse em entrevista coletiva que "Rafael Correa tem uma vantagem sobre Álvaro Noboa de entre 7 e 10 pontos", considerando a intenção de votos válidos. Ele Juri disse que a diferença é ampla, o que levou o instituto a confirmar que o empate técnico entre os dois candidatos não mais existe. Por sua parte, o diretor do instituto Cedatos/Gallup, Políbio Córdova, assegurou em entrevista coletiva que, segundo sua última enquete, fechada na noite de sexta-feira, Correa é o provável vencedor com oito pontos de diferença. Mais de nove milhões de equatorianos irão às urnas neste domingo para decidir quem será seu novo presidente: o esquerdista cristão Rafael Correa ou o multimilionário populista Álvaro Noboa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.