Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

Pesquisas indicam 2º turno em Buenos Aires

Apesar da dianteira nos votos, o prefeito Mauricio Macri terá de disputar a reeleição contra o candidato de Cristina Kirchner

Ariel Palacios, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2011 | 00h00

CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES

O prefeito Maurício Macri venceu ontem o primeiro turno das eleições municipais de Buenos Aires, segundo indicaram no início da noite as pesquisas de boca de urna, mas terá de enfrentar um segundo turno em busca da reeleição.

Macri, do partido Proposta Republicana (PRO), de centro-direita, teria conseguido de 43% a 45% dos votos. Em segundo lugar estaria o ex-ministro da Educação, Daniel Filmus, candidato apontado pela presidente Cristina Kirchner para representar a Frente pela Vitória, sublegenda do Partido Justicialista (Peronista) que autodefine-se "progressista". O sociólogo e pedagogo obteve de 30% a 33% dos votos, segundo as pesquisas.

Em terceiro ficou o deputado e cineasta Fernando Solanas, líder do Projeto Sul, de esquerda. Os portenhos voltarão às urnas no dia 31 para definir quem ficará com o comando da cidade de 2,8 milhões de habitantes, que concentra o poder político, sindical e financeiro do país.

O governo Kirchner celebrou o resultado de Filmus, já que mostra um crescimento em relação ao desempenho do próprio candidato em 2007, quando teve 23,7% dos votos, além de superar amplamente a marca de 12% que os candidatos da presidente tiveram nas eleições parlamentares de 2009 em Buenos Aires.

Apoio. Analistas sustentam que na segunda fase das eleições a presidente assumirá postura ativa a favor de Filmus. A tendência é de vitória de Macri, que pode conseguir mais de 53% dos votos.

A dúvida dos analistas é sobre o destino dos votos do socialista Solanas. Especula-se que pelo menos metade iria para Filmus, enquanto um quarto iria para Macri. O restante se tornaria branco ou nulo. A luta por Buenos Aires é uma das mais importantes batalhas da guerra eleitoral argentina, cujo ponto culminante serão as eleições presidenciais de outubro. Na ocasião, a presidente Cristina disputará sua reeleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.