Pesquisas mostram Merkel sem maioria no Parlamento

A menos de três meses das eleições nacionais da Alemanha, a mais recente pesquisa de opinião, divulgada nesta quarta-feira, mantém o cenário dos últimos levantamentos ao apontar a coalizão de centro-direita da chanceler alemã, Angela Merkel, sem maioria no Parlamento se as eleições fossem hoje.

Agência Estado

10 de julho de 2013 | 12h22

Na pesquisa do Instituto Forsa, o apoio combinado para a coalizão entre a União Democrata Cristã (CDU) e a União Social Cristã (CSU), além do apoio ao Partido Liberal Democrata (FDP), ficou em 46%, inalterado em relação ao último levantamento do instituto.

Os outros partidos com representação atualmente no Parlamento - o Partido Social Democrata (SDP), o Partido Verde e o partido A Esquerda - receberam 46% de apoio, com alta de um ponto porcentual.

Questionados sobre o partido em que votariam se as eleições ocorressem neste domingo, 41% dos entrevistados apoiaram a coalizão de Merkel, mesma porcentagem da pesquisa anterior. O apoio ao FDP ficou inalterado em 5%, no limite exigido para representação no Parlamento. O SPD continuou com 22% das intenções de voto, o Partido Verde subiu um ponto porcentual para 15% e A Esquerda continua estagnada com 9%.

Uma vez que os principais partidos excluíram a possibilidade de uma coalizão com o partido A Esquerda, os resultados permitiriam que a coalizão de Merkel se juntasse somente ao SPD ou ao Partido Verde. Nesse caso, os conservadores provavelmente seriam forçados a relaxar a rígida abordagem austera no próximo governo.

A pesquisa foi realizada com 2.503 pessoas entre os dias 1 e 5 de junho e tem margem de erro de 2,5 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Cenário

A maioria dos levantamentos dos últimos meses mostram Merkel e a oposição em uma corrida apertada com uma leve liderança dos adversários da chanceler. No entanto, como a fase mais intensa da campanha eleitoral ainda não começou, podem haver mudanças significativas nas intenções de voto até o pleito de 22 de setembro.

Apesar de ser possível que o SDP ganhe terreno até o dia da eleição, parece improvável que o candidato do partido a chanceler, Peer Steinbrueck, consiga alcançar maioria para governar com o Partido Verde. Portanto, uma grande coalizão entre CDU, CSU e SPD ou mais uma vitória eleitoral da atual coalizão de governo com o FDP parecem ser os cenários mais prováveis. Merkel já governou com o SPD entre 2005 e 2009. Fonte: Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaeleiçõesMerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.