Pesquisas sugerem vitória de oposição em eleição de Portugal

Socialistas admitiram derrota; PSD deve precisar formar coalizão com outro partido de direita.

BBC Brasil, BBC

05 de junho de 2011 | 17h42

Pesquisas de boca de urna sobre as eleições gerais em Portugal sugerem a vitória do partido de oposição, o Partido Social Democrata (PSD), de centro-direita, sobre o Partido Socialista.

Segundo a correspondente da BBC em Lisboa Alison Roberts, as pesquisas também sugerem que o PSD deverá precisar formar uma coalizão com outro partido de direita, o Centro Democrático Social (CDS), para conseguir a maioria.

O ministro da Economia, José Vieira da Silva, já afirmou que as sondagens mostram a vitória do PSD.

"Estes são resultados claros que o Partido Socialista quer reconhecer. Todos os resultados apontam para uma vitória do PSD e uma derrota para os Socialistas", disse.

O novo governo terá que implementar o pacote econômico que prevê uma ajuda financeira de 78 bilhões de euros ao país.

As eleições deste domingo foram marcadas pela forte crise econômica em Portugal. O país terá que reformar seu sistema público de saúde e implementar um programa de privatizações em troca de ajuda financeira, negociada com os países da União Europeia.

Todos os principais partidos concordaram com o pacote de ajuda financeira, que exigirá medidas de austeridade no país.

O líder socialista José Sócrates renunciou ao cargo de primeiro-ministro em março, abrindo caminho para novas eleições depois que a oposição parlamentar rejeitou um plano de medidas de austeridade proposto pelo governo socialista - o segundo em menos de um ano.

Desde então, ele governou como primeiro-ministro interino.

Crise

Portugal enfrenta uma taxa de desemprego superior a 12% e uma economia que deve contrair 2% neste ano e no próximo.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, disse na última semana que era o candidato preferido dos países que doarão dinheiro a Portugal.

"Nós vamos cortar o desperdício e os excessos do estado, ao mesmo tempo em que encontraremos uma maneira de fazer com que os mais necessitados tenham o que precisam", disse Coelho a seus partidários.

José Sócrates acusa os social-democratas de terem uma "agenda de direita radical" e critica Passos Coelho por sua falta de experiência no governo.

"Se você acha que programas sociais são importantes, vote no Partido Socialista porque nossas políticas asseguram o estado de bem estar social", disse o candidato em um comício, na última sexta-feira.

O próximo governo terá que implantar reformas fiscais e sociais amplas e urgentes, incluindo mais medidas de austeridade para restaurar a saúde fiscal do país e encorajar o crescimento econômico.

Os termos do acordo de ajuda financeira incluem aumento dos impostos, congelamento de aposentadorias e cortes nos benefícios dos funcionários.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.