Pessoa mais velha do mundo morre nos EUA

Com 116 anos de idade, a mulher registrada como a pessoa mais velha do mundo morreu em um asilo nos Estados Unidos na terça-feira. Besse Cooper faleceu de forma tranquila ontem a noite na cidade de Monroe, de acordo com o seu filho Sidney Cooper.

AE, Agência Estado

05 de dezembro de 2012 | 15h17

Sydney contou que, recentemente, sua mãe estava doente com um vírus estomacal, mas se sentiu melhor na segunda-feira. Ontem, ela arrumou o cabelo e assistiu um vídeo natalino, mas, em seguida, teve dificuldade para respirar. Segundo o filho, Besse respirava com balão de oxigênio em seu quarto e morreu por volta das 14 horas (horário local).

"Com o cabelo arrumado, parecia que ela estava pronta para ir", disse.

Besse Cooper foi declarada a pessoa mais velha do mundo em janeiro de 2011. Em maio daquele ano, o Guinness World Records descobriu que Maria Gomes Valentin, do Brasil, era 48 dias mais velha. A brasileira morreu no mês seguinte.

"É um dia muito triste para mim", disse o consultor do Guinness, Robert Young. Ele conheceu Besse quando ela tinha 111 anos e enfatizou a agilidade mental da senhora. "Naquela idade, ela estava muito bem, estava conseguindo ler livros."

Sidney Cooper afirmou que a família deve realizar uma cerimônia para sua mãe no fim de semana.

Besse Cooper foi a primeira pessoa da Georgia a ter um recorde mundial. Nascida no Tennessee, ela se mudou para Georgia durante a Primeira Guerra Mundial para buscar trabalho como professora.

Agora, o título da pessoa mais velha do mundo pertence a Dina Manfredini de 115 anos, de Johnston, nos Estados Unidos. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUApessoa mais velhaóbito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.