Carlos Barria/REUTERS
Carlos Barria/REUTERS

Pessoas próximas a Trump estariam divididas quanto à aceitação da derrota

Melania Trump, primeira-dama, e Jared Kushner, genro e conselheiro do presidente, querem que Trump reconheça a vitória de Joe Biden, diz mídia americana

EFE, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2020 | 01h10

WASHINGTON - A família midiática do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, parece estar dividida sobre a aceitação de sua derrota, disse a mídia local neste domingo, 8. Sua esposa, Melania Trump, e seu genro e conselheiro, Jared Kushner, estão entre aqueles que lhe pedem que desista, enquanto seus filhos mais velhos, Donald Jr. e Eric, se opõem.

No entanto, Jason Miller, um consultor de campanha de Trump, rejeitou essas afirmações.

Enquanto o líder republicano decidiu se refugiar durante o dia em seu clube de golfe, as posições entre seus aliados são conflitantes, indicou a rede CNN e a publicação Politico, que cita pessoas a par das conversas.

Kushner, marido de Ivanka Trump e conselheiro do presidente, teria abordado Trump para pedir-lhe que aceitasse a vitória do democrata Joe Biden, informaram os dois meios de comunicação.

No Twitter, Miller rejeitou a versão da CNN, observando que Kushner aconselhou Trump a buscar "todos os recursos legais disponíveis para garantir a precisão" da eleição. Horas depois, na mesma rede social, ele também negou outra declaração segundo a qual ele, o advogado de Kushner e o advogado de Trump, Rudy Giuliani, estariam inclinados a que o presidente praticasse atos de pressão por uma recontagem dos votos, enquanto o republicano David Bossie e o chefe da O gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, apoiaria a concessão da derrota.

Ambos os meios de comunicação apontam que a primeira-dama aconselhou em privado o presidente a aceitar os resultados. No entanto, a esposa de Trump postou uma mensagem no Twitter neste domingo pedindo que todos os "votos legais" fossem contados. “O povo americano merece eleições justas. Todos os votos legais - não ilegais - devem ser contados. Devemos proteger nossa democracia com total transparência”, escreveu.

As duas versões afirmam que Donald Jr. e Eric Trump permanecem firmes e pressionam republicanos e apoiadores do presidente a rejeitar as projeções de resultados divulgadas pela mídia.

O Politico revelou que em um momento em que muitos aliados enfrentam a possibilidade de derrota, funcionários da campanha de Trump encontraram cópias impressas dos tweets do presidente e uma capa de jornal manipulada nas paredes da sede política neste domingo. Isso os encorajou a continuar lutando e foi uma ideia vinda dos superiores.

Horas depois que as projeções da mídia sinalizaram sua vitória, o candidato democrata, Joe Biden, disse em um discurso com sua futura vice-presidente, Kamala Harris, que "é hora de curar os Estados Unidos"./EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.