Petraeus defende mais tempo no Afeganistão

WASHINGTON

, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2010 | 00h00

Contrariando o crescente ceticismo da opinião pública americana, o comandante das tropas dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, general David Petraeus, pediu tempo para que os resultados da guerra ao terror se consolidem e relativizou o prazo para a retirada do solo afegão, ontem, em entrevista à emissora NBC.

O presidente americano, Barack Obama, tinha dito que os militares dos Estados Unidos sairiam do Afeganistão até julho de 2011, mas Petraeus afirmou que "essa é uma data na qual o processo começa".

Bin Laden. O militar - que substituiu no mês passado o general Stanley McChrystal, demitido por ter criticado Obama em uma entrevista - também disse que "capturar ou matar Osama Bin Laden" continua sendo uma das prioridades da missão.

Petraeus destacou o papel positivo que, segundo ele, as forças afegãs vêm desempenhando no conflito.

Segundo ele, o objetivo é manter a rede terrorista Al-Qaeda e outros grupos extremistas fora da área de ação das tropas dos Estados Unidos e da Otan para que o governo afegão consiga retomar o controle de seu território e ganhar a confiança da população local.

"Estamos aqui para que o Afeganistão não volte a ser um santuário de extremistas que operam globalmente, como a Al-Qaeda fez quando planejou os ataques de 11 de Setembro na área de Kandahar", enfatizou.

Alto risco

2 mil soldados estrangeiros foram mortos no conflito afegão desde o início da invasão americana, em 2001

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.