Petroleiro argentino encalha na costa da Lituânia

Um navio petroleiro argentino, de bandeira do Panamá, carregado de 50 mil toneladas de óleo, encalhou na saída de Klaipeda, porto lituano situado no Mar Báltico. O casco do navio Princess Pia foi "ligeiramente danificado", segundo especialistas, mas não há vazamento de óleo. As razões para o acidente ainda não foram esclarecidas. As autoridades, alarmadas pelo perigo de um novo desastre ecológico, como o provocado recentemente pelo navio Prestige na costa espanhola, restringiram as informações, enquanto investigam as causas e a gravidade do acidente. Disseram apenas que um rebocador estava conduzindo o Princess Pia para fora do porto, de onde seguiria para Cingapura, quando o petroleiro fez uma manobra errada encalhou. O petroleiro, de 216 metros de comprimento e 35 metros de largura dificilmente será liberado com a ajuda de barcos rebocadores enquanto estiver carregado. A solução seria esvaziar parte de seus tanques, bombeando óleo para petroleiros menores. No entanto, Klaipeda não conta com barcos apropriados, segundo indicou um dos diretores do porto. Técnicos do terminal petroleiro Klaipedos Nafta disseram que o casco foi revisado depois do acidente, mas se negaram a divulgar os resultados. Um especialista da companhia disse que o navio está ligeiramente inclinado, mas reconhece que se o tanque for parcialmente descarregado, com rapidez, não haverá perigo de derramamento. Ao mesmo tempo, na Espanha, os pescadores da região da Galícia estão a postos para evitar a chegada de uma terceira mancha negra. O governo espanhol admitiu que enfrenta dificuldades técnicas para absorver as manchas de óleo que continuam vazando do petroleiro Prestige.

Agencia Estado,

12 Dezembro 2002 | 18h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.