Petroleiros vão continuar em greve na Venezuela

Os funcionários em greve da PDVSA, estatal que detém o monopólio do setor de petróleo da Venezuela, decidiram em assembléia continuar a paralisação que entrou em seu 32º dia. "O presidente Hugo Chávez está equivocado se acha que vamos recuar", disse o porta voz dos grevistas, Horacio Medina.Ele acrescentou que os empregados da empresa só vão voltar ao trabalho quando conseguirem seu objetivo, que é a renúncia de Chávez, seguida pela convocação de eleições antecipadas.A greve na PDVSA, que removeu do mercado a produção diária de cerca de três milhões de barris de petróleo do país, tem contribuído para uma forte alta no preço internacional do produto. Chávez afirmou que as operações de petróleo na Venezuela poderão ser totalmente retomadas em 45 dias, mas fontes do setor afirmam que deve demorar para que a PDVSA volte a operar normalmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.