REUTERS/Andres Martinez Casares
REUTERS/Andres Martinez Casares

Petróleo da Venezuela deixa dólar de lado e será cotado em iuanes

O preço do barril do petróleo da Venezuela fechou a semana em 306,26 iuanes (US$ 46,75), o que representa uma alta em relação aos US$ 46,14 da semana anterior

O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2017 | 15h00

CARACAS - O Ministério de Petróleo da Venezuela afirmou nesta sexta-feira, 15,  que os preços do barril produzido no país deixarão de ser cotados em dólar, passando a ser precificados em iuane, a moeda da China, a partir desta semana.

"A partir da presente semana, apresentaremos o preço médio do barril da Venezuela em iuane", indicou o relatório semanal do ministério, estabelecendo nesta semana uma taxa de câmbio de 6,55 iuanes por dólar, um pouco maior do que os 6,52 da semana passada.

Nesse sentido, o preço do barril do petróleo da Venezuela fechou a semana em 306,26 iuanes (US$ 46,75), o que representa uma alta em relação aos US$ 46,14 da semana anterior.

No comunicado, o ministério indicou que as "perspectivas mais favoráveis sobre a demanda mundial e os relatórios de uma menor produção global contribuíram para que o preço do petróleo se fortalecesse durante a atual semana".

O preço médio de venda do petróleo venezuelano neste ano é de US$ 43,99 por barril, uma recuperação em relação à média registrada em 2016, que foi de US$ 35,15.

A Venezuela informou no último sábado que a partir de agora deixará de assinar contratos públicos em dólares e obrigará as empresas que queiram fazer negócios com o governo a migrar para uma "cesta de moedas", entre as quais estão o iuane, o rublo, a rupia e o euro. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.