Petróleo pode subir para US$ 75, diz ministro árabe

O petróleo pode subir para US$ 75 por barril, mas para que os preços se mantenham em um intervalo de US$ 70 a US$ 80, a demanda global precisa melhorar, assim como a situação dos mercados financeiros, afirmou o ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, durante reunião de ministros da Energia do G-8 e também de outros países em Roma, segundo o jornal Al Hayat.

DEISE VIEIRA, Agencia Estado

24 de maio de 2009 | 09h54

Atualmente, os preços estão em torno de US$ 60 por barril. De acordo com o ministro, é importante manter as cotações entre US$ 70 e US$ 80 porque isso favoreceria a economia mundial.

Para o ministro do Petróleo da Argélia, Chakib Khelil, é possível que o petróleo atinja US$ 70 por barril apenas no ano que vem, já que, segundo ele, a recente alta dos preços não está conectada com fundamentos.

Segundo Khelil, se a economia global piorar em vez de mostrar sinais de recuperação, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode decidir reduzir a produção novamente. O representante do Irã na Opep, Mohammad Ali Khatibi, acredita que o mercado de petróleo não está equilibrado, e que cortes recentes da Opep nas cotas de produção "não foram suficientes", segundo o site da agência de notícias Shana.

A Opep irá se reunir na quinta-feira (28/05) em Viena. Segundo analistas, os membros do cartel devem optar por manter as cotas atuais de produção, mas podem exigir um cumprimento mais eficaz do corte de 4,2 milhões de barris por dia na oferta anunciado no final do ano passado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoOpep

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.