Petróleo sobe com medo sobre inspetores em palácio de Saddam

O petróleo subia nos mercados internacionais, reagindo aos temores de que os inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) poderiam ser impedidos de vasculhar instalações de um complexo de palácios usado pelo presidente iraquiano, Saddam Hussein. Carros dos inspetores de armas da ONU entraram esta manhã em um dos complexos presidenciais em Karkh, região central de Bagdá, no Iraque. É a primeira vez que a equipe da ONU entra nas dependências de Saddam desde a volta dos inspetores ao país na semana passada. Às 8h29 (de Brasília), os contratos futuros do petróleo Brent para janeiro subiam US$ 0,31 (1,29%), para US$ 25,95 o barril, na International Petroleum Exchange (IPE), em Londres. No sistema eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex), os contratos futuros do petróleo cru para janeiro estavam na máxima, negociados a US$ 27,56 o barril, com alta de US$ 0,32 (+1,17%). "A razão que temos (para a alta) é o fator medo", disse o diretor da GNI, Robert Laughlin. Outros fatores também foram citados como justificativas para a alta, como as expectativas de que o relatório semanal do Instituto Americano de Petróleo mostre queda dos estoques de petróleo nos EUA na semana passada. A queda da temperatura nos EUA e a possibilidade de uma greve na Venezuela também contribuíam para puxar para cima os preços do petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.