Petrolífera Chevron confirma tiroteio na Nigéria

Milícia do país declarou 'guerra do petróleo' na região; ataque foi reportado a autoridades

Agência Estado

14 de setembro de 2008 | 16h02

A gigante petrolífera norte-americana Chevron confirmou hoje um tiroteio em suas instalações no sul da Nigéria. Uma importante milícia do país declarou uma "guerra do petróleo" na região."Às duas da madrugada de hoje, a Chevron Nigeria Limited (...) recebeu informação sobre um tiroteio em suas instalações em Robertkiri, no Estado de Rivers. O ataque foi reportado às autoridades governamentais apropriadas e a investigação está em andamento. A empresa está monitorando cuidadosamente a situação", afirmou a Chevron em comunicado.O texto foi divulgado após o principal grupo militante do sul nigeriano, rico em petróleo - o Movimento pela Emancipação do Delta do Níger - afirmar que declarou uma "guerra do petróleo" e ameaçar os navios petroleiros que se aproximarem da região.O coronel nigeriano Musa Sagir confirmou o que qualificou como um ataque abortado nessa instalação da empresa, sem nenhuma baixa. A milícia, porém, sustentou que o ataque à Chevron "interceptou, matou e retirou as armas de 22 soldados bem armados", que teriam sido enviados como reforço.Segundo a Chevron, a instalação não estava funcionando no momento do incidente, pois passava por reparos. Além disso, a empresa afirmou que não houve qualquer impacto adicional nos níveis de sua produção de petróleo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChevronNigériatiroteio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.