Petrolíferas são acusadas de ligação com regime líbio

Autoridades nos Estados Unidos e na Líbia estão investigando empresas de petróleo, como a italiana Eni e a francesa Total, por causa da relação delas com o derrubado regime líbio, de acordo com uma reportagem do jornal The Wall Street Journal.

AE, Agência Estado

08 de abril de 2012 | 14h17

No ano passado, a guerra civil que tirou o líder Muamar Kadafi do poder praticamente encerrou a produção de petróleo no país, o que provocou tensões nos mercados do produto. Porém, com o retorno das operações ao normal, as investigações podem complicar os negócios das companhias na Líbia.

Agora, tanto a Líbia quando os EUA estão examinando as relações entre diversas empresas de petróleo e o governo líbio. O escritório da procuradoria geral da Líbia está investigando "operadores líbios e estrangeiros na Líbia" sobre possíveis "irregularidades financeiras", disse o chefe-adjunto Abdelmajeed Saad. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoKadafiEUALíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.