PF investiga suposta ligação de egípcia com Bin Laden

A Polícia Federal está investigando a egípcia Sahar Mohamed Hassam Abud Hamanra por ligações com o prefeito de Chuí (RS), Mohamad Kassem Jomaa, e por ser casada com El Said Hassam Mohamed Moklhes, que está preso no Uruguai por suspeita de envolvimento com o principal suspeito de ter praticado o atentado terrorista aos Estados Unidos, Osama bin Laden.O inquérito, instaurado há mais de um mês - antes do ataque aos norte-americanos -, está sendo conduzido pela PF do Rio Grande do Sul. O prefeito do Chuí virou alvo da PF por suspeitas de que ele não teria nascido no Brasil e, portanto, estaria cometendo crime de falsidade ideológica e também por suposta ligação com Bin Laden.Os agentes federais querem saber se a egípcia Sahar, juntamente com seus filhos, realmente se hospedou na casa do prefeito do interior gaúcho. A PF está em busca de toda e qualquer pista de que terroristas possam estar fazendo do Brasil um ponto de passagem. Esta preocupação, que segundo a polícia já exista antes quando foi instaurado o inquérito, cresceu com o atentado do último dia 11.Os policiais querem saber se Sahar Hamanra realmente nasceu no Brasil, se seus filhos são brasileiros, se os seus documentos são legais e se ela também poderia ter qualquer ligação com o terrorismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.