PF prende no Brasil um dos chefes das Farc

Subcomandante da 'Frente 22' da guerrilha colombiana foi detido durante operação antidrogas em Manaus

, O Estado de S.Paulo

08 Maio 2010 | 00h00

BRASÍLIA

A Polícia Federal prendeu na quinta-feira, em Manaus, um importante membro da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), procurado pelo governo colombiano por envolvimento em sequestros, homicídios e extorsão, informaram ontem a polícia brasileira e o Exército da Colômbia.

José Luis Sánchez, apelidado de "Tatareto", é considerado o subcomandante da Frente 22 das Farc.

Ele foi preso com outras 8 pessoas e 45 quilos de cocaína durante uma operação antidrogas na Amazônia brasileira. Sánchez atuava no Brasil com uma identidade falsa, sob o nome de Daniel Rodríguez Horosco.

A identidade dele foi confirmada por meio de impressões digitais obtidas pelo governo colombiano, segundo confirmou ontem o delegado de polícia Leandro Almada da Costa. As outras oito pessoas, uma delas irmão de Sánchez, também estavam no Brasil com identidades falsas.

A Polícia Federal negou que as Farc estejam atuando no Brasil. As autoridades dizem que Sánchez e seus companheiros estavam no País atuando exclusivamente no tráfico de drogas para financiar o grupo guerrilheiro, não com finalidades políticas.

A polícia conseguiu deter o membro de alto escalão das Farc depois de seguir por dez meses os grupos de traficantes, via rádio. Quando a operação foi lançada, a Polícia Federal não sabia que se tratava de um importante comandante da guerrilha.

Propriedades. Os 45 quilos de cocaína apreendidos estavam escondidos sob 5 toneladas de peixe no barco de Sánchez no Rio Negro, perto de um sítio também de sua propriedade. Ele foi preso em uma das casas que possui em Manaus. A polícia também descobriu uma estação de rádio com a qual ele se comunicava com a base das Farc na Colômbia. Um outro membro da quadrilha preso também é suspeito de ser integrante do grupo armado. Ele possui uma tatuagem das Farc no corpo. Agora, a Polícia Federal vai iniciar o processo de identificação de todos os presos.

Sánchez já havia sido detido com 10 quilos de cocaína em um automóvel em Manaus, mas o motorista disse que a droga era dele e "Tatareto" acabou sendo libertado.

Mediação. O governo brasileiro - que não vê as Farc como um grupo terrorista - já se ofereceu em diversas ocasiões para mediar um diálogo entre a guerrilha e o governo da Colômbia. Também ajudou em duas ocasiões a obter a libertação de reféns das Farc.

Em julho de 2008, a senadora e ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt - sequestrada em 2002 - foi libertada na selva colombiana com outros 14 reféns em uma operação que contou com o apoio de helicópteros e militares brasileiros.

PARA LEMBRAR

Grupo sofreu importantes baixas

Há dois anos a cúpula da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia vem sofrendo duros golpes - a mais importante delas a morte, em 26 de março de 2008, de seu líder máximo e fundador, Pedro Antonio Marín - também conhecido como "Manuel Marulanda". Em 1.º de março do mesmo ano, o "número 2" do grupo, Raúl Reyes, também morreu durante um ataque aéreo em território equatoriano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.