Philip Morris comemora absolvição

A Philip Morris comemorou a decisão de um júri de New Brunswick que rejeitou a acusação contra a empresa em mais um processo contra a indústria do cigarro nos Estados Unidos.De acordo com a empresa, sua defesa prevaleceu em 11 dos 12 casos individuais contra o cigarro. O acusador, Myron A. Mehlman, entrou com um processo contra a Philip Morris e a R.J.Reynolds em nome de sua esposa, Constance Mehlman, que morreu de câncer de pulmão em 1997. Ela havia parado de fumar em 1974. Num comunicado à imprensa, a empresa informou que o júri entendeu que a vítima "sabia dos riscos do fumo, tomou a decisão de fumar e era legalmente responsável por esta decisão".A acusação informou que não aceita a decisão porque a vítima começou a fumar em 1951, antes de ter conhecimento dos malefícios do cigarro.Além disso, existe a alegação de que as companhias de tabaco tentaram esconder, durante anos, os verdadeiros riscos de fumar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.