Piloto cego viaja por mais de 21 mil quilômetros em ultraleve

O piloto cego britânico Miles Hilton-Barber aterrissou nesta segunda-feira na cidade australiana de Sydney após percorrer meio mundo em um ultraleve, um vôo que começou no dia 7 de março, em Londres.Após atravessar 21 países da Europa, o Mediterrâneo, a Síria, o Líbano, Jordânia, Indonésia e Timor-Leste, o Pegasus Mainair GT 450 entrou no espaço aéreo australiano, fez uma parada em Darwin e sobrevoou todo o país, para chegar no começo da manhã ao aeroporto de Bankstown, na cidade de Sydney.Hilton-Barber, que ficou cego aos 30 anos por uma doença degenerativa, utilizou tecnologia por voz para controlar os instrumentos de vôo, e em sua viagem de 21.722 quilômetros contou com o apoio de seu co-piloto, Storm Smith.O britânico tinha se transformado no primeiro piloto cego a sobrevoar o canal da Mancha há dois anos, e explicou em sua chegada a Sydney que a nova aventura tem como objetivo arrecadar fundos para um projeto para devolver a visão a crianças cegos em países em desenvolvimento."Imaginem poder se aproximar de uma criança cega e a perguntar: você quer voltar a enxergar? Olha, poderá voltar a enxergar amanhã. Não há nada melhor que devolver a visão a um cego", desabafou Hilton-Barber.Com o projeto, que faz parte do programa do banco Standard-Chartered "Seeing is Believing" (Ver é Acreditar), o britânico espera arrecadar cerca de US$ 2 milhões, mas insistiu em que "o importante não é o feito, mas arrecadar fundos". "Eu não poderei voltar a ver nesta vida, mas o melhor que posso fazer é devolver a visão a estas crianças", disse o piloto. "Esta é a realização de um sonho alucinante, fazia quatro anos que queria fazer este vôo", concluiu Hilton-Barber.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.