Piloto de avião que caiu em Cuba queria seqüestrar Fidel, diz jornal

Um residente de Las Vegas que roubou no ano passado um avião e o espatifou em Cuba havia deixado uma nota em que declarava a intenção de seqüestrar o presidente cubano Fidel Castro, disse hoje um jornal norte-americano.O Sun-Sentinel informou nesta quinta-feira que Milo John Reese deixou em 31 de julho, em seu automóvel, uma nota em que dizia que tentaria seqüestrar Fidel Castro. "Se algo sair mal, digam à minha mulher que eu a amo mais do que ela jamais acreditará". Reese saiu andando do avião após o choque.Os agentes federais interceptaram as cartas que o piloto escreveu na prisão, nas quais voltou a declarar qual era o propósito de seu vôo, segundo o jornal. "Não entendo por quê estou em confinamento solitário no Centro Federal de Detenção de Miami após ter arriscado a vida para seqüestrar o maior bastardo do mundo, Fidel Castro", escreveu Reese em uma das cartas, que assinou como "Piloto da Pizza".Reese foi libertado na terça-feira após cumprir uma sentença de seis meses pelo roubo do avião. Antes de sua frustrada tentativa de seqüestro, Reese vivia em Nevada, onde era um apaixonado opositor da prostituição. Em novembro de 1999, fingiu a própria morte e deixou o carro, manchado de sangue, no bordel Mustang Ranch, depois que o local sofreu uma intervenção do governo. Disse que o fez para chamar a atenção pública sobre o prostituição.Reese também se acorrentou à porta de um edifício do departamento de Saúde de Nevada e solicitou uma licença para abrir um prostíbulo para homossexuais. Sua advogada, Celeste Higgins, disse que Reese roubou o avião por ser um doente mental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.