Olavi Haikera/AP
Olavi Haikera/AP

Piloto teve intenção de derrubar avião na Namíbia, diz investigação

Queda da aeronave resultou na morte das 33 pessoas a bordo; empresário brasileiro Sérgio Miguel Pereira Soveral estava entre as vítimas

21 de dezembro de 2013 | 20h49

MAPUTO - O piloto do avião das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) que caiu na Namíbia, no final de novembro, durante um voo para Angola derrubou a aeronave intencionalmente, segundo dados preliminares das investigações divulgados na noite deste sábado, 21. O empresário brasileiro Sérgio Miguel Pereira Soveral, de 38 anos, estava entre as 33 vítimas do acidente.

Segundo o presidente do Instituto de Aviação Civil de Moçambique, João Abreu, os dados das caixas pretas do avião indicam que o comandante Herminio dos Santos Fernandes, que tinha 9.053 horas de voo, teve "clara intenção" de derrubar o avião. "A razão destas ações são desconhecidas e a investigação continua."

Ainda segundo Abreu, o comandante do avião se trancou na cabine, ignorou os sinais de alerta e não autorizou que o copilotos do avião voltasse para a cabine momentos antes da queda da aeronave. "É possível escutar os sinais de alarme de diversas intensidades, pancadas contra a porta da cabine e pedidos de acesso", afirmou o presidente da entidade que, junto com especialistas de Brasil e Angola, investiga as causas da queda.

O voo TM 470 da LAM partiu de Luanda, capital de Angola, no dia 29 de novembro com 27 passageiros abordo: 10 moçambicanos, 9 angolanos, 4 portugueses, um francês, um brasileiro e um chinês.

O acidente é considerado o mais grave da história da aviação civil de Moçambique desde a queda do avião do presidente Samora Machel, em 1986, na África do Sul, que deixou 34 mortos. Desde 2011, a União Europeia proibiu que os voos da LAM passem sobre o seu espaço aéreo.

Tudo o que sabemos sobre:
MoçambiqueQueda de AviãoNamíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.