Pilotos dos EUA serão julgados por morte de soldados canadenses

A Força Aérea dos Estados Unidosrecomendou que dois pilotos de aviões F-16 sejam julgados pelaparticipação em um bombardeio equivocado que causou a morte, emabril, de quatro soldados canadenses no Afeganistão. Segundo o Pentágono, os dois pilotos - major Harry Schmidt emajor William Umbach (comandante de vôo) - são membros da GuardaAérea Nacional do Estado de Illinois e foram chamadosoficialmente para responder as acusações. Schmidt enfrenta quatro acusações de homicídio culposo e oitode agressão. Ele é acusado também de não ter exercido umadisciplina de vôo apropriada e de não cumprir com as regras parao uso de armas. Quatro soldados canadenses que participavam de um exercício detreinamento noturno morreram e oito outros ficaram feridos poruma bomba de 225 quilos lançada por Schmidt de seu F-16. Schmidtdisse aos investigadores que pensava que estava atacando forçashostis. O major William Umbach, por sua vez, foi acusado de nãoexercer controle adequado da missão e de não cumprir com osregulamentos sobre ataque a alvos. As acusações foram recomendadas pelo general de brigadaStephen T. Sargeant, um dos diretores de um painel investigadoramericano-canadense que estuda as circunstâncias do incidente,ocorrido em 17 de abril último.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.