Pilotos têm dificuldade para localizar alvos afegãos

Os pilotos de bombardeiros norte-americanos em ação no Afeganistão estão com dificuldades de localizar alvos e estão retornando ao porta-aviões USS Enterprise, estacionado no mar da Arábia, com munição não utilizada. A informação é do próprio capitão do Enterprise, cujo nome não pode ser divulgado, assim como os nomes dos pilotos. O anonimato é uma das regras do Departamento de Defesa para evitar que parentes dos oficiais sejam ameaçados ou corram riscos. Segundo o capitão, os pilotos bombardearam ?dois? aviões afegãos que estavam no solo durante os ataques de ontem à noite, mas esses não podem ser considerados ?alvos reais?. De acordo com o almirante do Enterprise, que tem 7.500 militares a bordo na operação, as ofensivas deveria ser ?curta e rápida? e, por isso, os aviões retornam rapidamente. ?Estou tranqüilo porque temos superioridade aérea. Mas só estarei satisfeiro quando tivermos supremacia aérea?, disse o almirante. Em Washington, autoridades do Departamento de Defesa disseram que a ofensiva de ontem à noite foi realizada por cinco bombardeiros de longa distância, incluindo um par de aviões B-2 e três B-1B. Além disso, foram usados 10 aviões de ataque a partir de porta-aviões como o Enterprise que bombardearam alvos militares e armas antiaéreas. Dois navios norte-americanos e um submarino lançaram 15 mísseis Tomahawk. Pelo menos 20 aeronaves participaram do ataque, metade dos aviões usados no ataque de domingo. O capitão da Enterprise disse que serão divulgadas hoje as imagens dos aviões afegãos bombardeados. ?Francamente, não sei quantos desses aviões eram capazes de voar. Mas sei que agora não são mais?. A força aérea do Taleban é composta de 15 bombardeiros soviéticos. O almirante disse que estão sendo tomadas precauções extras para evitar danos às aeronaves e mortes de civis em terra. Cada piloto deve confirmar cada alvo antes de atirar. Mesmo assim, ele disse que não sabe se houve mortes em terra mas garantiu que todos os aviões retornaram ao Enterprise sem nenhum arranhão. Setenta aviões, incluindo dois esquadrões de F-14 e dois de F-18 têm sua base no Enterprise. Cada esquadrão é composto de pelo menos 12 aviões. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.