Pedro Ugarte/ AFP
Pedro Ugarte/ AFP

Piñera pede que todos seus ministros entreguem os cargos no Chile

Objetivo do presidente é fazer uma reforma ministerial para atender as demandas sociais dos manifestantes que há nove dias tomam as ruas do país

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2019 | 12h28

SANTIAGO  -O presidente do Chile, Sebastián Piñera, pediu neste sábado, 26 que todos os ministros de seu gabinete coloquem o cargo à disposição. O objetivo do presidente é fazer uma reforma ministerial para atender as demandas sociais dos manifestantes que há nove dias tomam as ruas do país reivindicando melhores condições de vida.

Ainda neste sábado, o presidente prometeu retirar o estado de emergência a partir do domingo, caso as circunstâncias permitam. Pela manhã, o Exército retirou o toque de recolher que vigorava em Santiago há uma semana.

Para Entender

Guia para entender os confrontos no Chile

Presidente diz que país está ‘em guerra’ diante das manifestações violentas; entenda o que está acontecendo

Ontem, a maior manifestação desde o retorno da democracia ao Chile, em 1990, reuniu 1,2 milhão de pessoas nas ruas de Santiago, uma cidade de pouco mais de 6 milhões de habitantes, e aumentou a pressão sobre Piñera. Houve atos em outras cidades como Valparaíso, Concepción e Punta Arenas. 

“Pedi os cargos de todos os ministros para reestruturar o gabinete e atender às novas demandas”, disse Piñera.

Pedido de perdão e série de concessões

Após dizer no começo da semana que estava em guerra contra os manifestantes, Piñera mudou de tom e cedeu em diversos pontos. Anunciou uma série de benefícios sociais e permitiu a investigação de denúncias de violações de direitos humanos por parte da polícia e do Exército.

A repressão aos protestos deixou 19 mortos desde o dia 18. Piñera chegou a pedir “perdão” nesta semana pela “falta de visão” em relação às mobilizações no país. A agenda social anunciada pelo presidente na quarta-feira inclui um aumento de 20% nas pensões e de 16% no salário mínimo, além de um projeto para reduzir os preços de medicamentos e reduzir o salário dos parlamentares, que recebem US$ 14 mil.

Para Entender

Presidente do Chile é visto comendo pizza durante protestos e foto viraliza

Sebastián Piñera foi flagrado no sábado em uma pizzaria; segundo portal chileno, ele foi celebrar o aniversário do neto com a família

Nesta sexta, o presidente assinou um projeto que prevê um aumento de US$ 30 nas pensões dos mais pobres, que recebem em média US$ 150. A medida favorecerá cerca de 600 mil pessoas. A maioria dos chilenos ganha entre 400 mil e 500 mil pesos, equivalente ao intervalo de US$ 562 a US$ 762, que não cobrem as necessidades básicas da população. / AFP e AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.