Piñera promete trabalhar pela democracia na ilha

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, disse ontem que seu governo fará "tudo que estiver ao seu alcance" para que a democracia seja recuperada de maneira pacífica em Cuba. Segundo ele, o Chile também ajudará no restabelecimento do respeito aos direitos humanos e das liberdades individuais na ilha. Piñera também condenou as circunstâncias nas quais o preso político Orlando Zapata morreu no fim de fevereiro após passar 85 dias em greve de fome. Ele também expressou preocupação pelo estado de saúde do dissidente Guillermo Fariñas, que, em greve de fome há quase um mês, pede pela libertação de presos políticos doentes. Piñera fez as declarações depois de se reunir com senadores do Partido Democrata Cristão, de oposição, que lhe expuseram um projeto aprovado na semana passada que tem como objetivo mediar o restabelecimento das liberdades na ilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.