Piñera quer manter relação estreita com Brasil

O presidente eleito chileno, Sebastián Piñera, recebeu hoje o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim. O chanceler destacou a boa relação entre os países e disse que esse quadro se manterá com a posse da nova administração de centro-direita no Chile.

AE-AP, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2010 | 14h44

Amorim foi à residência de Piñera, em um elegante bairro da cidade. Em outra reunião, o presidente eleito recebeu a pré-candidata presidencial colombiana María Lucía Ramírez, uma conservadora.

Mais tarde, Piñera deve receber o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, que espera ser confirmado por Piñera como candidato chileno à reeleição no organismo internacional.

"Foi uma honra para mim estar com o presidente eleito do Chile, com o presidente Piñera", disse Amorim. "Creio que sou o primeiro visitante estrangeiro que teve essa honra. Esse é um símbolo da amizade entre Brasil e Chile, que prosseguirá", afirmou Amorim, ao deixar a casa do presidente eleito.

O chanceler disse que no encontro foram discutidas as possibilidades de Piñera visitar em breve o Brasil, após assumir a presidência. Ele confirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparecerá à posse, em 11 de março.

Amorim se reuniria também com o ministro de Interior chileno, Edmundo Pérez Yoma, e com o chanceler, Mariano Fernández, com quem tratará da Comissão Binacional, destinada a fortalecer as relações bilaterais em vários setores.

Será ainda firmado no encontro com Fernández um memorando de entendimento sobre a cooperação na área de televisão digital. O Chile optou pela norma criada pelo Japão e adaptada pelo Brasil, a mesma mantida por Argentina e Peru.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.