Piñera: terremoto causou mais danos do que se pensava

O presidente eleito do Chile, Sebastian Piñera, alertou que os danos do terremoto que atingiu o Chile no sábado são piores do que se pensava inicialmente. "Quero alertar os chilenos que a magnitude e o impacto deste terremoto e desta calamidade são muito mais profundos e muito mais sérios do que nós pensávamos", disse Piñera. Ele afirmou que o número de mortos - estimado atualmente em 708 - deve subir quando novas informações chegarem das regiões mais atingidas pelo terremoto de 8,8 graus.

AE, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2010 | 19h42

Ele pediu que o governo restaure a ordem pública, que, segundo ele, piora "com o passar das horas". Saques e vandalismo estão ocorrendo no sul, "agravando as consequências do terremoto", afirmou Piñera. "As soluções têm de vir agora", afirmou.

Piñera, que deve assumir a presidência do país em 11 de março, elogiou a decisão do governo de declarar zonas de catástrofe e disse que se reuniria ainda hoje com a presidente Michelle Bachelet. Ele disse que o governo atual é responsável pela resposta imediata ao terremoto, mas que ele terá a tarefa da recuperação no médio prazo.

O presidente eleito afirmou que sua agenda para o governo terá de ser repensada na esteira do tremor. O programa de reconstrução que começou a preparar prevê obras para recuperar hospitais e clínicas, escolas, estradas, pontes e moradias, afirmou. Ele pediu que o setor privado ajude os atingidos pelo terremoto e nos esforços de reconstrução.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChileterremotoSebastian Piñera

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.