Pinochet escapa de mais um processo

A Corte de Apelações de Santiago repudiou, por ampla maioria, um pedido de suspensão da imunidade parlamentar do ex-presidente chileno Augusto Pinochet para que ele pudesse ser processado. O pedido foi feito pelo juiz Juan Guzmán, que já havia julgado o ex-ditador por 75 seqüestros e homicídios. Desta vez, o magistrado queria processar Pinochet pela detenção e desaparecimento, em 1976, da cúpula de dez dirigentes do então proscrito Partido Comunista."O tribunal rejeitou a petição por 15 votos a 8", informou a jornalistas o presidente da corte, Alfredo Pfeiffer. Ele disse também que foi repudiado um outro pedido, para que Pinochet fosse submetido novamente a exames médicos com o propósito de determinar se ele pode ou não ser julgado.Pinochet, de 87 anos, foi liberado de julgamento em 2002 pela Corte Suprema devido a uma demência. Os advogados de defesa do ex-ditador alegaram desta vez que os mesmos impedimentos físicos pelos quais ele fora liberado continuam em vigência. A corte, ao rejeitar a petição de Guzmán, acatou tal argumento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.