Pinochet recusa-se a assinar notificação de processo

O general Augusto Pinochet negou-se nesta quarta-feira a assinar uma notificação judicial que formalizou sua prisão domiciliar e seu indiciamento por 57 homicídios e 18 seqüestros de opositores em 1973.As funcionárias judiciais e alguns policiais levaram a notificação até a casa de veraneio de Pinochet, onde entraram rapidamente para evitar que os simpatizantes do ex-ditador os impedissem de cumprir sua tarefa.A histórica prisão domiciliar e o processo tiveram início às 16h locais. A operação jurídico-policial durou poucos minutos: os funcionários ingressaram na casa pela porta da frente, em veículos de vidro fumê, e logo em seguida se retiraram da residência em Los Boldos, a 130 quilômetros de Santiago, pela porta dos fundos, aparentemente para evitar os "pinochetistas" - freqüentemente agressivos - que a rodeavam.O general Guillermo Garín, porta-voz de Pinochet, disse que tudo transcorreu "com absoluta normalidade e respeito", apesar da negativa de Pinochet em assinar a resolução.No entanto, a negativa do ex-ditador não alterará a notificação que marcou o início de sua prisão domiciliar e do processo judicial movido contra ele.Os advogados de Pinochet têm cinco dias para apelar do indiciamento. O ex-ditador se encontra em Los Boldos desde sábado. Ali ficou sabendo na segunda-feira que o juiz Juan Guzmán decidiu processá-lo como autor intelectual dos 57 homicídios e 18 seqüestros.Garín apelara aos "pinochetistas" para que permitissem a realização da diligência com tranqüilidade.A defesa de Pinochet foi hoje contemplada pela boa sorte ao serem escolhidos como integrantes da sala que deverá tramitar os recursos por ela apresentados magistrados considerados favoráveis a Pinochet.O advogado defensor Iram Villagra anunciou que o juiz Sergio Valenzuela PatiÏo, que havia sido removido da Corte Suprema durante a investigação sobre o homidício de um líder sindical, será recusado pelos advogados de acusação.A defesa, que ainda não apelou da sentença de Guzmán, estudava o tipo de recursos que iria apresentar dependendo da conformação da sala do tribunal de apelações.Dois dos magistrados que comporão agora a sala votaram contra a suspensão de sua imunidade parlamentar no ano passado. O terceiro eleito foi Guzmán, que será substituído quando for julgada a apelação de Pinochet.Hoje pela manhã, o ex-ditador recebeu a visita dos máximos dirigentes da aliança de partidos direitistas, entre eles o que ocupou altos cargos durante seu governo ditatorial, o deputado Alberto Cardemil."O senador Pinochet está em situação complicada, está velho, enfermo e encurralado, e penso que é de bom tom fazer-lhe uma visita", disse Cardemil, presidente do partido Renovação Nacional (RN).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.