Pioram os confrontos entre rebeldes e militares do Sri Lanka

Pelo menos 15 marinheiros do Sri Lanka estão desaparecidos após seu barco de patrulha ser afundado, nesta quinta-feira, por rebeldes da organização Tigres da Liberação do Tâmil Eelam (TLTE), disse a marinha. Em retaliação a marinha afundou cinco embarcações rebeldes, em uma rápida escalada de violência entre os dois lados.A força aérea também bombardeou áreas perto do quartel general rebelde ao norte do país, disse um porta-voz do grupo."Cerca de 15 barcos rebeldes, incluindo embarcações suicidas, atacaram um de nossos navios que transportava 710 soldados", disse o porta-voz da marinha, comandante D.K.P Dassanayake."Barcos de ataque rápido entraram em combate com os rebeldes e um deles foi destruído por um barco-suicida", disse Dassanayake. "Cerca de 15 marinheiros estavam na embarcação".A porta-voz da Missão de Monitoramento da Europa no Sri Lanka, Helen Olafsdottir, disse que uma autoridade que monitorava a trégua estava no barco junto com os soldados. Ela não tem novos detalhes.Em comunicado, monitores acusaram os rebeldes de violarem o acordo de cessar-fogo de 2002 com o governo e disseram que o ataque foi considerado como uma ameaça direta da missão.Ainda nesta quinta-feira, dois civis morreram e outros três foram feridos em três ataques creditados aos rebeldes separatistas do norte e nordeste do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.