Pioram relações entre Cuba e países da AL

As relações entre Cuba e váriosgovernos da América Latina voltaram a ficar difíceis, emespecial com México e Argentina, depois da condenação da ilhacomunista na Comissão de Direitos Humanos da ONU, na últimaquarta-feira. O embaixador cubano em Buenos Aires, Alejandro GonzálezGaleano, afirmou, na semana passada, que o governo do presidenteFernando de la Rúa - que votou pela condenação - não representao pensamento maioritário da Aliança governante. "Mais de 80% dos argentinos são contrários a esta sanção.Não entendemos esta decisão (do governo de Buenos Aires)",afirmou Galeano. O voto gerou uma polêmica nas fileiras do governo argentino,e o comitê nacional do principal partido da Aliança - a UniãoCívica Radical (UCR) - aprovou um comunicado "lamentando" queo governo tenha repetido "o mesmo erro do ano passado" aocondenar Cuba. As relações Havana-Buenos Aires começaram a se deteriorardepois que, em fevereiro último, o presidende cubano FidelCastro acusou o governo argentino de ser "lambe botas dosianques", depois de advertir que a Argentina preparava uma"traição"e planejava condenar Cuba na ONU. Também as relações entre México e Cuba voltaram a um patamarde tensão depois de um breve período de "lua-de-mel"com achegada do presidente Vicente Fox ao poder, em 1º de dezembro doano passado. Com a opção mexicana em se abster da votação daresolução contra Cuba, as relações voltaram a se complicar. Os vínculos entre México e Cuba, tradicionalmente cordiais,haviam esfriado no final do governo do presidente ErnestoZedillo (1994-2000), devido aos questionamentos em matéria dedireitos humanos de democracia sobre a ilha caribenha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.