Piqueteiros fazem primeiro protesto contra Kirchner

Milhares de piqueteiros manifestaram-se hoje pelo centro da capital argentina para pedir o aumento no subsídio aos desempregados, além de um "décimo-terceiro". Marchando entre o Congresso Nacional até a Casa Rosada, a sede do governo, 20 mil manifestantes causaram o caos no trânsito portenho. Trinta organizações piqueteiras participaram desta marcha de protesto, a primeira de magnitude realizada contra o governo do presidente Néstor Kirchner, que tomou posse há cinco meses. Os piqueteiros afirmam que mobilizaram 50 mil pessoas. Os manifestantes também protestaram contra a "criminalização" dos piqueteiros, ou seja, a ofensiva que o governo Kirchner está realizando na Justiça para processar 3 mil piqueteiros que envolveram-se em distúrbios e outros delitos nos últimos anos. Os "piqueteiros" são os desempregados que realizam piquetes nas estradas para pedir comida e trabalho. Seu modus operandi consiste em bloquear uma via com escombros e pneus em chamas para pressionar o governo municipal, provincial ou federal para conseguir o que pedem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.