Piratas ameaçam explodir navio seqüestrado na Somália

Se resgate de US$ 20 milhões não for pago, 'notícias sobre embarcação irão terminar em três dias', diz porta-voz

Associated Press,

10 de outubro de 2008 | 15h01

Os piratas que seqüestraram navio carregado de armas ucranianas na costa da Somália ameaçaram nesta sexta-feira, 10, explodir a embarcação se nenhum resgate for pago, disse uma porta-voz dos bandidos. O MV Faina está cercado por navios de guerra dos Estados Unidos, além de uma fragata russa, o que aumenta os temores de possíveis ataques contra o navio. Veja também:Combates na Somália são 'tragédia ignorada pelo mundo', diz ONGSomália autoriza Rússia a usar força contra piratas "Tivemos uma reunião por mais de três horas hoje e decidimos explodir o navio e sua carga - incluindo nós - se os donos da embarcação não atender nossas demandas", afirmou Sugule Ali à agência de notícias Associated Press. "Após três dias, começando amanhã, as novidades sobre o navio se encerrarão. Sabemos o que fazer depois", ameaçou a porta-voz. Nesta semana, os piratas disseram que poderiam reduzir o preço do resgate, de US$ 20 milhões, depois de quase duas semanas insistindo em que o valor não diminuiria. Navios de vários países já estão patrulhando a costa da Somália, onde dezenas de embarcações foram atacadas por piratas nas últimas semanas.  O MV Faina transporta 33 tanques, além de metralhadoras e outras armas pesadas. Os piratas também mantêm prisioneiros os tripulantes. Nesta semana, a ONU aprovou uma nova resolução autorizando o uso da força contra piratas. A Somália é um país especialmente vulnerável à ação dos criminosos em sua costa devido à instabilidade política. Há 17 anos, o país é palco de conflitos envolvendo diferentes grupos que lutam pelo poder.

Tudo o que sabemos sobre:
Somáliapiratas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.