Piratas atacam cruzeiro italiano com mais de mil passageiros

Nenhum dos passageiros a bordo ficou ferido; equipe de segurança do cruzeiro respondeu ao fogo dos piratas

Efe

26 de abril de 2009 | 04h25

Com mais de mil passageiros a bordo, o cruzeiro Melody, da companhia italiana MSC Crociere, escapou de um ataque pirata quando estava 180 milhas ao norte das Ilhas Seychelles, no Oceano Índico, informou neste domingo, 26, a imprensa digital italiana.

 

Veja também:

especialEspecial: Mapa da pirataria no mundo 

linkA geopolítica da pirataria

 

Na noite sábado, 25, seis pessoas armadas com fuzis Kalashnikov a bordo de uma pequena embarcação atiraram contra o cruzeiro. Mas, graças às manobras evasivas do comandante, Ciro Pinto, o navio conseguiu escapar do ataque, disseram os veículos.

 

Nenhum dos passageiros a bordo ficou ferido e o estado de saúde de todos é bom. Ainda segundo a imprensa, a equipe de segurança do cruzeiro respondeu ao fogo dos piratas.

 

"Nunca vou conseguir esquecer o que aconteceu esta noite. Parecia que estávamos numa guerra", declarou o comandante do Melody sobre a investida dos piratas.

 

"Era uma embarcação branca, e eles (os piratas) atiraram dela. Nós nos defendemos. A bordo temos cinco jovens israelenses como seguranças", disse Ciro à rede de TV italiana RAI.

 

Segundo a imprensa da Itália, os piratas tentaram subir no Melody usando uma escada, mas a equipe de segurança conseguiu evitar a invasão.

 

Um passageiro contatado pelo site alemão Spiegel Online disse que ouviu "cerca de 50 disparos" durante a troca de tiros. Nessa hora, segundo o turista, todos foram orientados pela tripulação a permanecerem em suas cabines com as luzes apagadas.

 

Já o jornal italiano La Repubblica informou que quem percebeu a aproximação dos piratas foi um passageiro do cruzeiro. Este usou seu telefone celular para ligar para parentes na Itália, que, por sua vez, avisaram o Ministério de Assuntos Exteriores italiano.

 

De Londres, a missão da União Europeia (UE) que combate a pirataria na região informou que o Melody será escoltado por um navio de guerra espanhol até o Golfo de Áden.

 

A previsão é que o cruzeiro chegue ao porto de Ácaba, na Jordânia, no dia 2 de maio. Em seguida, a embarcação viajará até as cidades italianas de Nápoles e Gênova, sua parada final.

 

No tiroteio com os piratas, o Melody teve alguns de seus quebrados e um dos seus barcos de salvamento atingidos pelos disparos.

 

Em seu site, o jornal Corriere della Sera diz que o diretor-geral da MSC Crociere, Domenico Pellegrino, entrou em contato com o Melody. Os tripulantes garantiram que todos estão bem, que não houve pânico na hora do ataque e que a embarcação segue sua rota.

Tudo o que sabemos sobre:
piratasataquerevide

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.