Piratas atacam navio alemão e são presos na Somália

Sete piratas abriram fogo contra um navio de suprimento alemão no Golfo do Áden. Porém, o grupo foi capturado pela força-tarefa internacional que combate os piratas, informaram hoje a Marinha dos Estados Unidos e funcionários europeus. Em outro incidente, o Iêmen informou que piratas mataram um pescador do país e feriram outros dois em um ataque a um barco de pesca no sábado, também no Golfo do Áden. A porção de mar entre a Somália e o Iêmen é uma das rotas mais concorridas do mundo, com milhares de embarcações passando pela região todo ano. Os piratas têm realizado muitos ataques na área.

AE-AP, Agencia Estado

30 de março de 2009 | 17h23

No ataque ao navio alemão, ocorrido ontem, aparentemente os piratas confundiram a embarcação de suprimentos com uma comercial. Os tripulantes alemães abriram fogo contra o pequeno barco e pediram apoio. Vários navios foram até o local do incidente e, cinco horas depois, marinheiros gregos chegaram à embarcação dos piratas, detendo os sete suspeitos e apreendendo suas armas. Ninguém ficou ferido, segundo o governo alemão.

O número de ataques na costa da Somália explodiu no ano passado, quando houve 111 ocorrências e 42 sequestros de embarcações, a maioria no Golfo do Áden. O problema motivou um esforço internacional para combater os criminosos. A Somália não tem um governo que controle de fato o país desde 1991, quando o ditador Mohamed Siad Barre foi deposto.

No Iêmen, são comuns os ataques de piratas a barcos de pesca. No ano passado, foram registrados 50 incidentes do tipo pelo país. Neste ataque mais recente, os pescadores estavam em águas somalis. Eles conseguiram fugir, mas um pescador morreu. O corpo foi levado até o porto iemenita de Mukalla, a 560 quilômetros a sudeste da capital, Sanaa.

Tudo o que sabemos sobre:
SomáliaIêmenpiratasnavio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.